clubedaposta

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
SAÚDE

HMUE garantiu cerca de 700 mil de atendimentos em 2023 que culminou em 97% do índice de satisfação dos usuários

Por Governo do Pará (SECOM)
24/01/2024 22h04

Mãe de usuário com o dietor Assistencial do HMUE

Pertencente à rede de saúde pública do Governo do Pará, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) é referência no tratamento de pessoas vítimas de traumas de altas complexidades e queimados. Em 2023, a equipe multiprofissional da unidade hospitalar garantiu aproximadamente 700 mil atendimentos de média e alta complexidade, e uma média anual 97% do índice de satisfação dos usuários.

Essa significativa quantidade de atendimentos ressalta o compromisso do HMUE em oferecer cuidados abrangentes de qualidade, seguro e humanizado aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no Pará. A equipe multiprofissional do HMUE garantiu um total geral de 694.607 atendimentos, entre eles, destacamos 15.776 cirurgias; 413.181 exames (internos e externos); 26.919 atendimentos de Urgência/Emergência; 3.074 transfusões de sangue, 21.516 atendimentos ambulatoriais, 49.447 atendimentos do Serviço Social, 21.879 de psicologia, 17.635 realizados no Serviço de Atendimento aos Usuários (SAU), 97.580 atendimentos na Reabilitação (fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia) e 27.600 atendimentos/acompanhamentos realizados pela Nutrição.

Tudo isso com média de permanência dos usuários de 7,6 dias, que resultaram em cerca de 90% de ocupação total de leitos. Neste mesmo período, 2023, houve registro de uma média diária de também de 7,6 de altas hospitalares.

Clóvis Guse, diretor Assistencial do HMUE, comenta sobre as estratégias que a gestão da unidade tem operado para garantir uma assistência mais assertiva aos seus usuários. Ele diz que quando o corpo diretivo do HMUE assumiu a gestão, em dezembro de 2022, foi realizada pesquisa sobre todos os fluxos do hospital, onde foram evidenciados pontos que deveriam ser melhor desenvolvidos, o que garantiria uma maior resolutividade dos quadros Clínicos dos usuários, bem como otimizaria o trabalho da equipe multiprofissional do HMUE. Na ocasião, esses pontos de melhoria compreendiam o Pronto Atendimento (P.A), o Centro Cirúrgico (CC) e as unidades de internação.

“Em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), foi organizada as três estruturas, trazendo uma logística mais refinada e tecnológica. A administração conseguiu melhorar a infraestrutura e capacitou a equipe, tanto gerencial, quanto de coordenação e assistencial. Então, os três níveis: estratégico, tático e operacional, foram contemplados com um olhar de gestão”, pontuou Guse.

 Ele acrescentou que no P.A, foi desenvolvida a classificação de risco, escolhida a equipe do corpo clínico. Além disso, foram revistos os protocolos, dando mais agilidade nos Serviço de Apoio à Diagnóstico e Terapêutica (SADT) para exame e definição da Clínica.

O gestor observa que o passo seguinte foi organizar o Centro Cirúrgico, aumentando o escopo tecnológico, as equipes multiprofissionais, especialmente, as equipes médicas de cirurgia para absorver toda aquela demanda dos pacientes de urgência e emergência e das cirurgias eletivas, que reduziu considerável o tempo de definição de conduta, com tempo médio de duas horas e meia, além de uma espera de até quatro horas para a admissão do usuário ao Centro Cirúrgico.

“Isso melhorou de uma forma muito positiva o fluxo da equipe e o giro de leitos, o que resultou também na diminuição das infecções hospitalares. A Sespa repassou subsídio para a revitalização das seis salas cirúrgicas para o seu funcionamento pleno de 24h, que deu maior vazão ao P.A nas Urgências e Emergências cirúrgicas que gerou um reflexo na alta rotatividade dos pacientes e na baixa média de permanência. O treinamento das equipes também foi fundamental”, finalizou.

Aprovação - Iuda Jacine da Silva, 39 anos, acompanhante de seu filho, I.M, de 13 anos, vítima de acidente de moto, que fraturou sua perna esquerda, em 14 de dezembro do ano passado. Ela comenta sobre a resolutividade do caso de seu filho, bem como a qualidade da assistência prestada aos usuários no HMUE.

“A partir do acidente, fomos encaminhados diretamente para cá e graças a Deus e aos profissionais do Hospital Metropolitano, ele foi muito bem cuidado. Todas as minhas dúvidas também foram sanadas. Meu filho ficou encantado pelo atendimento da equipe. Tenho muita gratidão por toda a equipe do HMUE que cuidou do meu filho. Graças a Deus saio com meu filho bem melhor aqui do HMUE. Obrigada a todos”, agradeceu a autônoma.

Estrutura– O HMUE pertence à rede de saúde pública do Governo do Pará e é referência no tratamento de pessoas vítimas de traumas de altas complexidades e queimados.

A unidade dispõe de leitos nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria e cirurgia plástica - exclusiva para pacientes vítimas de queimaduras -, além de leitos de Terapia Intensiva (UTI).

Texto: Vera Rojas com informações de Pedro Amorim

clubedaposta Mapa do site